Nova Prata emite nota após jogador levantar suspeita em jogo da Terceirona

Atualizado: Jun 1

Na última sexta-feira, o Sapucaiense fez 6 a 0 no Nova Prata na Terceirona Gaúcha. O jogo era válido pela 8ª rodada da Terceirona Gaúcha. Contudo, o que chamou atenção foi uma declaração do jogador Jefferson Luis do time de Sapucaia do Sul.


"Hoje fui escolhido o craque de um jogo que era para um atleta profissional que tenha uma história no futebol gaúcho é até vergonhoso. Ver uma equipe adversária que participa de jogos de azar e ter que passar por isto foi uma sensação que não condiz com o futebol que tanto lutei e ainda luto diariamente para estar ativo. Nunca aceitaria vender um jogo, pois tudo que passei pra conquistar meu sonho de ser jogador de futebol nenhum dinheiro no mundo pagaria", declarou o atleta em uma postagem.


Nos comentários da publicação, outros atletas acabaram se manifestando. Entre eles, Jajá, atacante do Sapucaiense. O camisa 9 declarou: "Não há palavras que nos tire esse sentimento de indignação com o que foi presenciado dentro das 4 linhas hj irmão... para nós que fizemos parte do jogo foi um sentimento de falta de profissional total do adversário e isso fez com que nosso sentimento fosse o mesmo", escreveu o atacante.


Horas depois, a postagem não estava mais no instagram de Jefferson Luis, assim como os comentários. Contudo, os prints da postagem circularam pelas redes sociais.


NOVA PRATA EMITE NOTA


No sábado, a diretoria do Nova Prata emitiu uma nota, que foi divulgada pela Rádio Ativa de Nova Prata. No comunicado à imprensa, assinado pelo presidente Marcos Rodrigues da Rosa, o clube repudiou veementemente as acusações feitas na rede social pelo jogador do Sapucaiense.


"Aguardamos uma retratação do atleta e uma comunicação oficial do clube ao qual pertence. Fizemos contato com o presidente da entidade em questão, e, não percebemos interesse em solucionar o incidente. Sendo assim, no que tange à honra e a imagem da Associação Nova Prata, à honestidade e ética dos membros da diretoria, tomaremos as providências junto aos órgão judiciais, pois estamos sendo acusados de venda de jogo e envolvimento com jogos de azar", afirmou o clube.


O clube esclareceu que os jogos nos campeonatos oficiais e os treinamentos de base estão terceirizados desde 2019. Em contrapartida, os débitos que o clube tinha junto à Federação Gaúcha de Futebol, no valor de R$ 15.000,00, foram quitados. Todas as despesas de participação nas competições não são de responsabilidade do Nova Prata.


"Sendo assim, informamos que a diretoria da entidade NÃO participa da competição diretamente e não tem profissionais ou atletas sob seu comando. A entidade cedeu o nome e a marca pois não tem recursos em caixa, patrocínio e sócios contribuintes. Possui sérios comprometimentos financeiros trabalhistas e dívidas junto a bancos e comércio. A atual diretoria não recebeu nenhuma prestação de contas das diretorias anteriores e, muitas vezes, temos feito pagamentos de pequenas despesas com recursos próprios", explica a nota. 


O Esporte Clube Cefasa, o qual os jogadores são ligados, também endossa a nota. Em contato com peleiafc.com, a entidade esclarece que foi o último clube a confirmar participação na Terceirona Gaúcha e não teve tempo de montar um time competitivo. O Nova Prata acabou ingressando na competição no lugar do Garibaldi, que desistiu de jogar.


"Montamos e registramos atletas em 15 dias e infelizmente não conseguimos ter um time competitivo. Sobre a acusação e afirmação do atleta Jeferson Luiz , a Associação Nova Prata tomara todas as medidas jurídicas para que o devido atleta comprove a sua acusação e afirmação, porque falar é fácil, expor um clube e sua comunidade a especulações sem provas, não será tolerado. Portanto, sua diretoria, comissão técnica e atletas afirmam não compactuar com esse tipo de atividade anti-desportiva", declarou.


===========================================

A nota na íntegra do Nova Prata você confere na sequência:


A Diretoria da Associação Nova Prata de Esportes Cultura e Lazer, informa à comunidade pratense, à imprensa e a quem interessar que: repudia veementemente as acusações feitas na rede social Instagram pelo perfil Jeffetininho, pertencente ao atleta Jefferson Luis do Clube Esportivo Sapucaiense. Aguardamos uma retratação do atleta e uma comunicação oficial do clube ao qual pertence. Fizemos contato com o presidente da entidade em questão, e, não percebemos interesse em solucionar o incidente. Sendo assim, no que tange à honra e a imagem da Associação Nova Prata, à honestidade e ética dos membros da diretoria, tomaremos as providencias junto aos órgão judiciais, pois estamos sendo acusados de venda de jogo e envolvimento com jogos de azar.


Esclarecemos o seguinte: os jogos nos campeonatos oficiais e os treinamentos de base estão terceirizados desde 2019 com a empresa Esporte Clube Cefasa Eireli ME, sendo que: em 14 de abril de 2021, foi feito um adendo nesse contrato de gestão, para que dois outros gestores de esportes: Wellington Fabricio da Rocha, empresário Individual de Itapuranga SC e Tiago dos Santos Roberto, com endereço em Blumenau SC, no contrato em questão denominados “Parceiros de Gestão”, fizessem a gestão do futebol e custeio de despesas para participação no Campeonato Gaúcho Segunda Divisão de 2021 e Copa FGF 2021. Em contrapartida, esses liquidariam débitos, do clube esportivo, junto à Federação Gaúcha de Futebol no valor de R$ 15.000,00 e, juntamente com o Esporte Clube Cefasa Eireli ME, pagariam débitos em torno de 15.000,00 junto à Receita Federal, valores esses pendentes no CNPJ da entidade. Bem como, custeariam todas as despesas para participação nas competições citadas. Sendo assim, informamos que a diretoria da entidade NÃO participa da competição diretamente e não tem profissionais ou atletas sob seu comando. Todos os profissionais e atletas da base pertencem ao CEFASA e os atletas profissionais, até o presente momento, aos “Parceiros de Gestão.” A entidade cedeu o nome e a marca pois não tem recursos em caixa, patrocínio e sócios contribuintes. Possui sérios comprometimentos financeiros trabalhistas e dívidas junto a bancos e comércio. A atual diretoria não recebeu nenhuma prestação de contas das diretorias anteriores e, muitas vezes, temos feito pagamentos de pequenas despesas com recursos próprios.


Destacamos que, quando fizemos contratos de parcerias, acreditamos que eles seriam cumpridos dentro dos princípios da ética e do profissionalismo. Sendo assim, não coadunamos com eventuais atitudes de terceiros que possam, por ventura, infringir os princípios do esporte, o Código Brasileiro de Justiça Desportiva, regras da Federação Gaúcha de Futebol e Confederação Brasileira de Futebol.


Nova Prata, 29 de maio de 2021

Marcos Rodrigues da Rosa

Presidente

ASSOCIAÇÃO NOVA PRATA DE ESPORTES CULTURA E LAZER

NOTA DE ESCLARECIMENTO E REPÚDIO