"O que aconteceu hoje foi um ato de varzeano", dispara vice do Galo após adiamento de jogo

O adiamento do jogo do Santa Cruz contra o Riopardense gerou revolta dos dirigentes do galo carijó. A partida foi transferida pela Federação Gaúcha de Futebol faltando cerca de duas horas para a bola rolar no estádio dos Plátanos. O motivo é que o exame realizado pelo visitante, nos seus profissionais, não era o exigido no regulamento da competição.


Em entrevista a Rádio Gazeta, o vice presidente Luiz Carlos Vitiello não poupou críticas a medida de adiar o duelo em cima da hora. Ele classificou a ação como "varzeana".


"A estrutura toda montada e de repente o delegado disse que recebeu no grupo deles que o jogo estava adiado. É inacreditável. Depois ligou um assessor do presidente Hocsman tentando me explicar, mas é algo inexplicável no futebol profissional. Ele relatei que poderiam ter visto com 24 horas antes do jogo e não duas horas. O Riopardense estava em Santa Cruz, mas parece que o time fez o teste errado. Mas todo mundo sabe pelo protocolo que o teste é PCR. O que aconteceu hoje na Federação foi um ato de varzeano", disparou o dirigente.


O clube tratou a situação com indignação, pois seguir a risca os protocolos para a realização da partida. O dirigente lembrou ainda que a diretoria gastou R$ 6 mil para fazer os testes certos em um laboratório. Vitiello afirma que cobrará da FGF os gastos de logística do jogo adiado.