Orçamento do Juventude para 2021 pode chegar aos 50 milhões


A façanha do Juventude ainda é comemorada pelo torcedor jaconero. O acesso para a Série A do Brasileirão é um feito histórico para o clube e o futebol gaúcho. Após 13 anos, o time da serra retorna a elite do gigantes nacionais.


A volta ao G20 também faz o clube mudar de patamar financeiro. Em recente entrevista ao programa Papo Online, o presidente do clube Walter Dal Zotto Jr falou sobre o crescimento financeiro do JU, no programa apresentado por Marcus Vaz.


Ele classificou como muito difícil a Série B, pois para subir é preciso ter regularidade durante as 38 rodadas.

"Nosso planejamento no início era para não correr riscos. Nós conseguimos o objetivo final que era chegar na ultima rodada vivos e dependendo só de nós", comentou.

Em 2020, a pandemia tirou os torcedores dos estádios. O clube projeta ter deixado de arrecadar 2,5 milhões e teve também que reduzir as despesas para terminar o ano. Para o dirigente, o acesso é uma mudança de patamar e reafirmou que a responsabilidade aumenta na primeira divisão.


"Temos que ser criteriosos na montagem da equipe, na escolha de todos os atletas, como o departamento de futebol teve na Série C e Série B. O perfil de atletas muda com certeza e vamos buscar as alternativas com criatividade para fazer frente a essas equipes e se manter na primeira divisão", disse.

O objetivo para 2021 é fazer uma equipe equilibrada, pois a intensidade da Série A promete ser maior, assim como a qualidade das equipes. O primeiro passo é se manter na Série A.


FINANCEIRO


Há dois anos, na Série C, o orçamento projetado do clube era de 8 milhões, mas com a Copa do Brasil chegou aos 16 milhões. Ainda conforme dados do presidente, em 2020, a projeção era chegar aos 16 milhões, mas o clube conseguiu dobrar o orçamento, alcançando 31 milhões. Em 2021, o Juventude terá cifras maiores. Somente da cota de TV, o montante pode passar dos 30 milhões e, no total, ultrapassar a marca de 50 milhões.

"Ano passado era 16 milhões, chegamos com 31 milhões, em função da venda de atletas e a Copa do Brasil. Estamos trabalhando com orçamento de na faixa de 40 milhões, com muito pé no chão, para quem sabe aumentar para 50 milhões. Pagamos nos últimos dois anos mais de 10 milhões de dívidas passadas. É uma trabalho de toda direção que é muito coesa, unida", revelou Walter.


Foto: Reprodução/Tv Papo