Raio X da Pandemia: Saiba como estão as cidades com representantes na Série A2

O governo do estado divulgou nesta segunda-feira, o panorama mais recente da pandemia da covid-19 no Rio Grande do Sul. O sistema de Distanciamento Controlado apontou seis regiões na bandeira vermelha (risco alto), metade da semana anterior. As demais localidades estão classificadas como risco médio para disseminação do novo coronavírus, na cor laranja.


O mesmo de julho é tradicionalmente o pico de internações nos hospitais gaúchos devido aos problemas respiratórios intensificados pelo inverno. Agosto começa com um quadro de projeção melhor, mas se tratando da covid-19 o alerta sempre está ligado.


Atualmente, o estado registra 71.479 casos de covid-19 desde a pandemia. Deste total, 62.546 pessoas estão recuperadas (88%) e 6.917 em acompanhamento médico, sendo 7.667 internadas em hospitais. Em todo o solo gaúcho, a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 76,2%.


Contudo, a realidade da pandemia é diferente se comparadas as regiões. É neste ponto que desejamos tratar. O Gauchão está prestes a terminar, mas, por outro lado, a Divisão de Acesso segue suspensa desde março. Foram três rodadas realizadas. Existe uma possibilidade de retorno em setembro, mas não foi oficializado pelos dirigentes junto à FGF. Há um grupo de presidentes que defende o cancelamento da Série A2. Entretanto, para isso ocorrer é preciso unanimidade em uma reunião técnica. Hoje, não há essa concordância de todos os dirigentes.


O site peleiafc.com realizou mais um levantamento inédito das cidades envolvidas na Divisão de Acesso. São 16 clubes e 15 cidades, pois Bagé tem dois representantes no campeonato. Para a liberação de algumas atividades, os prefeitos têm levado em conta a taxa de propagação do vírus, número de óbitos e, principalmente, a ocupação de leitos de UTI. O último item é fundamental, pois busca se evitar colapso do sistema de saúde com superlotação.


Fomos em busca de três fatores sobre pandemia nas cidades com times na Série A2: casos confirmados, mortes e taxa de ocupação de UTI. Em alguns municípios a situação da pandemia está sob controle, mas em outras os números chamam atenção, como Passo Fundo que lidera os diagnósticos positivos e as mortes na comparação. Rio Grande teve uma disparada de mortes nas últimas semanas. Já a taxa de ocupação de leitos de UTI preocupa em Venâncio Aires, com 94%.


Confira todos os dados levantados até o último domingo pelo site peleiafc.com:

Dados com base no site coronavirus.rs.gov.br abastecido pelo governo do Rio Grande do Sul