Renato Cajá cria fundação e projeta jogar mais três anos


Renato Cajá tem uma grande experiência dentro das quatro linhas e muitas histórias no futebol nacional e internacional. Nesta semana, ele contou um pouco desta vivência no programa "Peleia FC Entrevista", no facebook do peleiafc.com.


Uma dessas situações foi a projeção de mais quantos anos ainda pretende jogar futebol. Aos 35 anos, o atleta mantém o fôlego de dar inveja a muito jovem. No bate-papo com o jornalista Tiago Nunes, Cajá deseja atuar por mais dois anos, mas com a pandemia pode até prorrogar esse prazo e fechar em três.


"Eu to pensando mais dois anos, mas com essa paralisação to pensando em mais um e jogar três anos. Esse ano joguei poucos jogos", declarou.


Quando parar de encarar a marcação adversário, o atleta projeta não se afastar do futebol. Ele vai pendurar as chutas, mas não irá se afastar do mundo da bola. Cajá pretende seguir em um cargo de gestão ou mais técnico.


"Penso em entrar no futebol depois quem sabe como auxiliar. Fiz um curso da CBF. Pude aprender um pouco sobre categorias de base. Quem sabe trabalhar depois em algum clube para ajudar de alguma forma. Gosto de futebol e gosto de estar no meio", projetou.


Ele também revelou ter criado nesta semana a Fundação Cajá Academy. O projeto será desenvolvido na cidade de Campinas, São Paulo, onde reside com a família. A ideia é atender e ajudar crianças através do futebol.

"To criando uma fundação sem fins lucrativos. Cajá Futebol Academy. Acabei de criar. To projetando fazer algo social aqui na cidade para alcançar crianças e jovens para tirar das ruas. Quem sabe levar eles para o futebol assim como eu", detalhou o jogador do Juventude.


Foto: Arthur Dallegrave/ECJuventude