São Luiz precisa de R$ 650 mil para fechar as contas do Gauchão

No fim da tarde da última quarta-feira, 28, o São Luiz realizou uma entrevista coletiva de balanço do Campeonato Gaúcho. Estavam presentes o presidente Lauro Hass, juntamente com o primeiro vice-presidente Antonio Tambara e o presidente do conselho deliberativo Vilson Hepp, que responderam perguntas sobre a participação no Gauchão 2021, finanças do clube e a projeção para o próximo ano.


Quanto a questão financeira no estadual, o presidente citou a necessidade do clube de realizar empréstimos para conseguir pagar as contas. Em fala reproduzida no blog do repórter Alex Frantz, o dirigente chega a citar que faltaram R$ 650 mil para quitar todos os compromissos.


"Estamos ainda em busca do complemento que precisamos para pagar a folha de abril, premiação dos atletas e rescisão de contratos e boa parte já entrou no caixa e acredito que até o começo da semana que vem conseguimos reunir os valores e cumprir com os compromissos e encerrar este ciclo para não termos nenhuma dívida no futuro. O valor que falta é de R$650 mil, justamente a meia cota, este é o nosso déficit, se tivermos sucesso e conseguir vender todas as cartelas da ação entre amigos, vamos resolver este problema. Este valor que a FGF emprestou, a princípio temos que pagar até o dia 30 de junho", detalhou em coletiva.


Ainda no mês de setembro, do ano passado, o São Luiz tinha 200 mil em caixa. O valor serviu para pagar a folha daquele mês. A partir deste ponto começa o drama financeiro do clube. Sem recursos, a direção teve que antecipar valores da meia cota da FGF e também de patrocinadores. Não sendo suficiente, em fevereiro, o São Luiz teve que se socorrer de empréstimos dos associados, de diretores, de ex-dirigentes e de conselheiros. Agora, o foco é colocar as contas em dia para depois pensar na temporada 2022.


Foto: Divulgação/São Luiz