Sub-11 e sub-13 do Juventude viajam para torneio na Espanha

As categorias sub-11 e sub-13 do Juventude partiram na madrugada de quarta-feira (23/10), para a disputa do Football Cup Barcelona, na Espanha. A competição, uma das mais importantes de base do Mundo, será disputada na cidade de Salou, na região da Catalunha, entre os dias 26 e 27 de outubro.


Como a grande maioria dos torneios de base da Europa, os jogos da equipe sub-11, comandada pelo técnico Rafael Scopel, serão disputados com sete jogadores para cada lado. A delegação viajou com onze atletas: João Baldin (goleiro); Felipe Biazus e João Pedroni (laterais); Lucas Travi (zagueiro); Augusto Mezzomo e Luiz Scheibel (meias); André Luiz, Cauê Lucas, João Scatolin, Pedro Meneghel e Luciano Júnior (atacantes). A equipe está no Grupo A, ao lado de Drumcondra AFC (IRL), Ekerö IK (SUE), IFK Stocksund (SUE) e Gnistan (FIN). O primeiro colocado de cada grupo avança para a fase de semifinal.


Scopel destaca a importância da participação do clube em torneios internacionais. “Estamos levando não só o nome da Escola de Futebol, mas o nome do clube para os quatro cantos do mundo. Indo para outro país estamos valorizando a nossa marca, a marca Juventude, que é referência no Brasil inteiro como clube formador, e essa é uma oportunidade muito importante para nos tornarmos referência também em outros países”. 


Pela categoria sub-13, do técnico Pedro Klever, as partidas seguem o padrão de 11 jogadores por equipe. Por isso, quinze atletas formam a delegação: Cauã Kronitzky e Davi Sonego (goleiros); Pedro Henrique e Guilherme Bebber (laterais); Cauã Santos e Henrique Fogaça (zagueiros); Anderson Saldanha e Henrique Mendonça (volantes); Franco Almeida e Guilherme Ambrozini (meias); Felipe Nunes, Lucas Grolli, Leonardo Schneider, Marcos Vinicius e Gabriel Buffon (atacantes). O Ju está no grupo C, e tem como adversários, Esker Celtic (IRL), Huddinge IF (SUE) e North Yorkshire Soccer (ING). O primeiro colocado de cada grupo, além do segundo melhor colocado geral, avançam para a semifinal. 


O treinador Pedro Klever fala dos aprendizados que a competição pode trazer. “A expectativa é a melhor possível, fazer esse intercâmbio conhecendo outras culturas de jogo, outras escolas de futebol é uma oportunidade única, para alunos e professores. Jogar em outro continente é expandir novas ideias de jogo que podemos trazer para o clube”.


Além dos treinadores, o coordenador da Escola de Futebol, Jonas da Rosa, chefia a delegação.


Foto: Divulgação/Juventude