VÍDEO: "É uma vergonha apenas dois anos. Eu poderia ter morrido", desabafa árbitro agredido


O árbitro Rodrigo Crivellaro desabafou no instagram após a condenação do jogador William Ribeiro pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) nesta segunda-feira. Por unanimidade, os auditores da corte decidiram seguir o voto do relator e aplicaram a pena de dois anos de suspensão ao jogador. O árbitro classificou como vergonhoso o resultado do julgamento. Indignado ele disse que poderia ter morrido.


"Eu sou obrigado a vir na internet. É uma vergonha apenas dois anos de pena ao atleta que me agrediu. Eu poderia ter morrido. É uma vergonha. Também sou pai de família. Também não tenho dinheiro como ele. Na psicologia não tem raça, gênero, se é preto, branco, gordo, magro. É uma vergonha essa lei brasileira. Tinha que ser banido do futebol. Poderia ter perdido a minha vida e não estar aqui contando isso. É uma vergonha a lei da justiça desportiva", relatou o árbitro.


Durante o julgamento, o próprio presidente da comissão, Camilo Gomes de Macedo disse que a suspensão de 730 dias é a pena máxima. Segundo ele, o caso é de uma gravidade absurda, mas tem que agir dentro dos parâmetros da lei e explicou os motivos de não haver o banimento do atleta.


"Nos atemos aquilo que diz a lei. Se nós formos levar em conta o calor social, a mídia, ou a própria vontade de algum de nós, o banimento seria a pena aplicada. Mas nós não podemos aplicar essa pena, porque ela não está prevista no nosso código. Temos um limitador e esse limitador é feito pelo órgão máximo do futebol internacional que é a FIFA, que determina que a pena máxima para esses casos é de dois anos", explicou o presidente da comissão durante seu voto.


VEJA O DEPOIMENTO DO ÁRBITRO


Imagem: Instagram